sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Mil Milhas Brasileiras 2008

A Porsche 911 venceu a 36ª edição da (já nem tanto) tradicional prova de enduro nacional. Nacional? Faz tempo que um carro de fabricação nacional não briga pela vitória...



Aliás, a tradicional prova feita por "garageiros" que se preparavam todo o ano para realizar o sonho de terminar uma 1000 milhas já quase não existe mais. Quase.

Ainda restam alguns, e na edição 2008 acompanhei de perto uma equipe, que com determinação, e pura, a mais pura paixão pelo automobilismo, conseguiu realizar o sonho de terminar a prova. Cruzou a linha de chegada e foi pro parque-fechado com seu Ômega numero 68.

Nos próximos dias, os posts serão sobre a saga do 68. Acompanhe. É de emocionar.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Sou um profeta!

Em um post anterior, eu afirmei que na F1 não seriam necessários pontos para decidir quem é o melhor num campeonato. Bastaria se utilizar do número de vitórias, de segundos em caso de empate de vitórias, etc.

E não é que pode ser a novidade para 2009? Veja isso!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Ao lado de ídolos

Posso dizer que sou privilegiado. Conseguir fotos ao lado de Nelson Piquet, Jacques Laffite e o lendário Niki Lauda foi algo que nunca sonhei...



quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Vídeo raro da equipe Ferrari

Esse vídeo foi obtido aproximadamente uma hora após a cerimônia do pódio do GP Brasil. As arquibancadas já estavam quase vazias nesse momento. Duvido que mais de 10 pessoas no mundo tenham registrado esse momento em movimento, como esse registro.

video

Atenção: se utilizar esse vídeo em alguma mídia pública, favor citar a fonte!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Alonso e Kubica

Nas andanças de quinta feira, com certeza o dia mais "calmo" do final de semana do GP, meu irmão conseguiu essas fotos de dois dos grandes pilotos do grid.







sábado, 15 de novembro de 2008

Pneus de F1

Os pneus dos F1 são sulcados certo? Em partes. Foram assim (como nas fotos abaixo) até o memorável GP Brasil de 2008. Fim de uma era. Agora, os pneus voltam a ser slick (completamente lisos).



De fundamental importância na categoria, decidiu o campeonato em favor de Hamilton (2008), quando faltou aderência à Toyota de Glock na última volta, e contra o mesmo inglês (2007), quando já estavam na lona e o jogaram pra brita na entrada dos boxes (vídeo abaixo).

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Bicos...

... são tão belos e tão caros... alguns milhares de dólares. Criados com estrutura de fibra de carbono. Em um relance, que não pude registrar, deu pra ver a quantidade de ranhuras e defletores de ar que existem sob essas peças...

... e destrói-se numa primeira curva....


quarta-feira, 12 de novembro de 2008

As verdadeiras Flechas de Prata

São absolutamente fantásticos os carros oficiais do GP Brasil. Verdadeiros bólidos "de rua".


O Medical Car "larga" atrás do grid. Como eu fui o Pit Lane Marchal do último colocado, posso contar o que eu vi: O Sutil não fez uma largada lá grandes coisas, mas ele tava a bordo de um F1. O Medical Car largou JUNTO! É incrível o que arranca aquele carro! Largou junto e Sutil não abriu mais que 2 carros dele até eu perdê-los de vista! Pra vocês "babarem", segue imagens desses belos modelos.



terça-feira, 11 de novembro de 2008

Octetes em Interlagos

As meninas do Blog OctetoRT marcaram presença, e é claro que eu as localizei na arquibancada e registro aqui.

Não deixo de visitá-las!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Os bastidores do GP Brasil de F1

Fiscal de pista já há quatro anos, sempre trabalhando em categorias mais "básicas" do automobilismo nacional, chega a hora do grande momento: a estréia nos bastidores de um Grande Prêmio de F1.

Sempre fiz todos os meus trabalhos de pista/box com grande prazer e afinco, pois entendo que, se está lá pra fazer, faça (muito) bem feito. Nas 500 milhas da Granja Viana, geralmente passo a noite toda acordado, fiscalizando box, pneus, motores... e nas horas "vagas", cobrindo algum bandeira de pista. Nas mil milhas brasileiras, mais 12 horas ininterruptas de trampo pesado. GT3? Simples demais perto das outras experiências. E lindo demais também.

E então chega o momento da F1. Chega a hora de "compilar" todo o conhecimento no maior evento brasileiro do automobilismo. E pra ajudar, tivemos o final de prova mais fantástico (talvez) da história da F1.

A foto aí ao lado, mostra esse que vos fala e o "circo" montado ao longo do pit lane. Acho que percorri esse pit lane umas 70 vezes durante o final de semana! Os pés no final do domingo "não existem" mais...

Nessa outra, vê-se o nosso kit lanche e nossa "lanchonete". Isso fica embaixo do camarote da McLaren, que por sua vez é abaixo do heliponto (olhando o pódio de frente, do lado esquerdo). Era lá o nosso QG, onde guardávamos as bugigangas e descansávamos meia hora por dia (com sorte).

Já essa última, é só para o leitor ter certeza, de verdade mesmo, que estávamos lá, no grande GP Brasil de Fórmula 1 do ano de 2008.

Foi, realmente, a realização de um sonho, o de participar, de alguma forma que fosse, de um GP. De estar (muito) perto das maiores máquinas do automobilismo mundial.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Scuderia Ferrari

16 vezes campeã mundial de construtores. É a equipe que ilustra o fundo da imagem deste que vos fala.



quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Prá quê pontos?

Quando escrevi o post anterior, pensei no seguinte: Prá quê pontos?

Explico: como funciona o critério-desempate na F1?

- Quantidade de vitórias. Persistindo empate...
- Quantidade de segundos lugares. Persistindo empate...
- Quantidade de terceiros lugares. Persistindo empate...

... e assim por diante.

Então, novamente pergunto: Prá quê pontos? Esse não poderia ser a base da classificação do mundial de pilotos? E de construtores também?

Fiz uma estimativa com os oito primeiros do mundial 2008 (na pequena imagem, clique para ver maior) e vi que sendo assim:

- Massa passaria Hamilton e seria campeão;
- Alonso passaria Kibica;
- Kovalainen e Vettel passariam Heidfeld...

Com isso, o piloto se contentaria com o segundo lugar para marcar oito pontos? Ou disputaria a freada da última curva, da última volta, para vencer a prova?

A F1 seria uma fila indiana sem ultrapassagens como é hoje?

Galvão Bueno e o vice-vencedor


Até 2002, o sistema de pontuação da F1 era:

1 - 10
2 - 6
3 - 4
4 - 3
5 - 2
6 - 1

Na época, Schumacher vencia tudo, e a FIA bolou um outro sistema de pontuação, para que o campeonato não terminasse tão precocemente como ocorria na época e ficou:

1 - 10
2 - 8
3 - 6
4 - 5
5 - 4
6 - 3
7 - 2
8 - 1

Galvão Bueno não gostou, eu também não. A vitória deixou de ser tão importante, vencer agora abria metade da vantagem com relação ao segundo, comparado com o sistema antigo. O narrador oficial da Rede Globo de Televisão chamou isso de vice-vencedor.

Tá, e porque desse assunto agora? Explico. Se essa mudança não tivesse existido, Massa seria o campeão de 2008 com 85 pontos, enquanto Lewis Hamilton ficaria em segundo, dois pontos atrás, com 83. Isso porque Felipe venceu seis corridas, contra cinco de Lewis.

Moral da história: Prá que vencer? Prá que arriscar vencer se pode-se ser constante para ser campeão? Depois, reclamam que a F1 não tem mais ultrapassagens...

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Eu cantei a bola...

Um pontinho.

E eu disse que ele ia faltar!

A Ferrari não inverteu posições quando deveria, e Massa perdeu por um ponto...


Enfim, a festa foi linda mesmo assim, no Autódromo de Interlagos ontem. Quase morri do coração...


Durante as férias da F1, vou publicando minhas aventuras no GP Brasil. Seus bastidores, curiosidades com fotos vídeos, e até registrando a presença das octetes na arquibancada A.

Aguardem!